segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

046 - Um prémio para o relançar da APA


 
Ainda em relação à questão do futuro da APA – Associação Profissional de Arqueólogos, é curioso o comentário publicado no Facebook pelo seu vice-presidente, a propósito do não pagamento de quotas por parte de associados: “Quem acredita na APA pagou as quotas de forma a poder exercer e usufruir de todos os seus direitos.” O problema é precisamente esse: já são poucos, demasiadamente poucos, os que ainda acreditam na associação.

Face à actual situação, como proceder? Concordar que a razão está com aqueles que pagam e portanto com aqueles que acreditam na actual APA? Sendo tão poucos (10, 15, 20 para um universo de perto de 400 associados...os dados não estão divulgados...), será que a esmagadora maioria dos sócios é totalmente inconsciente?

Penso que a actual direcção da APA assenta a sua acção e intenção de recandidatura a um futuro mandato numa deficiente análise da realidade e numa incapacidade de proceder a uma auto-crítica minimamente objectiva. A progressiva desmobilização dos membros da APA e a ausência de novos associados parece demonstrar uma profunda falta de empatia entre os seus corpos sociais, os restantes membros da associação e os arqueólogos em geral. Por isso mesmo, é questionável que aqueles que já não pagam quotas e se afastaram da vida associativa sejam recriminados. É que pertencer à APA não é uma questão de fé, sendo antes uma opção assente numa convicção e em expectativas de resultados úteis que não foram, de todo, alcançados pela actual direcção. Por isso, não considero pertinente que os sócios que (ainda) não desistiram e que têm continuado a pagar as suas quotas devam ser recompensados pelo seu esforço, muito menos sendo isentados de quotas durante alguns anos, como alguns já sugeriram.

Este é o tempo de viabilizar o retorno das centenas de membros que deixaram de acreditar. Esse eventual regresso será a única e merecida recompensa para aqueles que mantiveram a APA viva. A partir desse ponto, poderá começar o verdadeiro trabalho assente em ideias inovadoras.
 

Nota final: até ao dia da próxima Assembleia Geral irei pagar as quotas que tenho em atraso.

Sem comentários:

Publicar um comentário